Bliss, Shanti, Ananda – Lina Afonso

por:

Bliss/Graça,
Shanti/Paz,
Ananda/Plenitude

De que forma estar na Índia me ajuda a reconhecer estas qualidades em mim?

Eu sei que não é o facto de estar aqui que me vai magicamente tornar mais inteira ou feliz! Eu compreendo que estas qualidades não vêm de fora. Que não dependem de onde estou nem do que faço.

Mas também sei – ou acredito – que a mulher adulta que sou agora tem aprendizagens para fazer, e a Índia está a oferecer-me a riqueza e intensidade de vivências que podem resultar nessa aprendizagem.
Procuro a cada momento lembrar-me disto!

Manter-me aberta, receptiva, confiante.

Observar quando o ego toma conta e perturba a minha interacção com o que acontece ao meu redor.
E aí, usar o amor e a generosidade também para comigo própria, com as minhas falhas e limitações.

Permitir a minha criança interior se expressar, com segurança, sem bloquear as emoções que surgem. Manter o encantamento com as coisas simples que no dia-a-dia tendem a se tornar banais.

Lembrar-me uma e outra vez, incansavelmente, que os momentos difíceis não significam que a vida é dura, que as pessoas me querem magoar, que a minha escolha de estar aqui passa por esforços, sacrifícios ou sofrimento.

Que há uma dimensão muito mais ampla e significativa do que a dimensão individual.

Permitir que o meu eu individual se dilua é dar espaço à força de universalidade e humanidade = União!

Mergulhar bem fundo em mim e abrir plenamente o meu coração à vida, para descobrir que TUDO é positivo, tudo tem um sentido, tudo é uma expressão do Divino, tudo me pode aproximar da minha Essência/Deus/Amor Incondicional. Desfrutar!!!

Claro, há momentos em que me esqueço e atrapalho… me zango, irrito, desespero, desacredito… Mas há os momentos mágicos poderosos belos em que a minha visão se aclara, a mente se acalma, o coração relaxa e o meu Ser Autêntico está presente.

Nesses momentos, estou profundamente consciente da oportunidade única que é estar a viver o que estou a viver!!!

GRATIDÃO!!!

* Texto escrito desde a Índia

Descubra aqui mais artigos de Lina Afonso.

Escreva uma resposta ou comentário

O seu e-mail não será publicado.